Solucione suas 5 maiores dúvidas sobre transferência de curso

Seja por se interessar por muitas (ou poucas) áreas, por fazer a escolha antes da hora ou por passar a conhecer outras possibilidades mais tarde, a verdade é que nem todo mundo consegue entrar para a graduação certa na primeira tentativa. Mas nada de pensar que será preciso voltar ao início ou que o sonho está perdido! Você por acaso já ouviu falar na transferência de curso?

Para dar andamento a esse processo, primeiramente é preciso saber se é possível continuar na mesma instituição de ensino ou se vai ser preciso mudar de universidade. De qualquer forma, já podemos adiantar que, na maior parte das vezes, o aluno não tem que prestar um outro vestibular ou começar o novo curso desde o início, viu?

Você está passando por essa situação agora e simplesmente não sabe o que fazer? Para acabar com suas dúvidas de uma vez por todas, basta acompanhar os próximos tópicos. Entenda melhor como o processo de transferência de curso funciona!

1. É difícil fazer a transferência de curso?

Ao contrário do que muita gente pensa, esse processo é bem simples. Existem sim algumas questões burocráticas que devem ser observadas, mas isso definitivamente não dificulta a transferência. Aliás, quanto mais rápido você providenciar a documentação necessária, mais rápido será o andamento da transferência.

É possível solicitar a transferência apenas de uma graduação para outra, continuando os estudos na mesma universidade, ou até pedir a mudança completa de curso, sendo transferido também de instituição. Continue a leitura para entender direitinho a diferença!

Transferência interna

Nesse caso, a mudança acontece dentro da própria universidade, com o aluno podendo escolher um outro curso que seja da mesma área ou de uma área diferente — não existe restrição nesse sentido. É importante lembrar que algumas instituições de ensino só oferecem uma oportunidade de troca. Assim, se não for a primeira vez que o estudante faz essa solicitação, ele provavelmente terá que passar por outro processo seletivo.

Transferência externa

Esse tipo de transferência acontece quando o aluno muda também de universidade. Nesse caso, a nova instituição faz uma análise do histórico acadêmico do estudante, mas existe a possibilidade de ele ter que fazer uma prova antes de iniciar os estudos. Como as regras mudam de um local para outro, é preciso se informar no próprio estabelecimento de ensino pretendido.

Independentemente do tipo de transferência que você decidir fazer, lembre-se de um ponto muito importante: antes de mais nada, confira se há vagas disponíveis para o curso que você quer!

2. Quem pode pedir uma transferência?

Qualquer aluno que esteja regularmente matriculado em uma universidade pode solicitar a transferência sem nem justificar sua atitude, bastando procurar o setor responsável para fazer o pedido.

3. Quais são os documentos necessários?

Quase todas as universidades vão exigir seus documentos pessoais, bem como o conteúdo programático do curso atual e seu histórico acadêmico. Geralmente, esses 2 últimos documentos devem ser solicitados na secretaria da instituição onde você estuda. Vale lembrar, no entanto, que a documentação pode variar de acordo com as políticas de cada estabelecimento de ensino.

4. O que acontece com as disciplinas já cursadas?

Normalmente, é possível aproveitar boa parte das disciplinas — ainda mais se os cursos tiverem alguma relação. A universidade faz a análise do histórico escolar e também da ementa (documento no qual constam a carga horária e o conteúdo de cada disciplina) para avaliar se o aluno deverá ou não estudar o conteúdo novamente.

É importante destacar que 2 disciplinas podem receber a mesma nomenclatura em várias instituições de ensino, mas apresentar carga horária e conteúdo programático diferentes, de acordo com o que é estipulado em cada universidade. Quando não há compatibilidade, o aluno provavelmente não aproveitará as matérias cursadas.

5. Como saber se devo fazer uma transferência?

Ao optar por determinada faculdade, é bem possível que você pense (pelo menos naquele momento) que está fazendo a escolha certa. Porém, à medida que vai conhecendo melhor o curso e que vai se aprofundando no estudo das disciplinas, pode chegar à conclusão de que não era bem aquilo o que queria. Aí entra a transferência!

De qualquer forma, para não correr o risco de fazer outra escolha equivocada, é preciso levar em consideração alguns elementos. Confira e monte sua checklist!

Prós e contras

Pense sobre o que você considera ser bom e o que acha ruim na faculdade que está cursando. Com isso, saberá o que realmente espera do curso. Faça o mesmo em relação à faculdade para a qual você pretende pedir a transferência. Desse modo, você tomará uma decisão melhor para futuramente se sentir feliz tanto pessoal quanto profissionalmente.

Graduação pretendida

Reúna o maior número possível de informações sobre o novo curso que você escolheu. Veja, por exemplo, se será preciso participar de algum processo seletivo, se as disciplinas, cargas horárias e os conteúdos são parecidos com os do seu curso atual e se o valor da mensalidade vai ser mais alto. Caso mude também de universidade e não apenas de curso, considere ainda a distância e o tempo que vai gastar até chegar ao local.

Mercado de trabalho

Um outro ponto muito importante que não pode ser esquecido é o mercado de trabalho. Verifique como anda a perspectiva para os profissionais que se formam na faculdade que você pretende cursar. O número de vagas é grande? A remuneração é satisfatória? Converse com seus professores e com profissionais que atuam nas 2 áreas. Com seu conhecimento e sua experiência, eles vão poder ajudá-lo a pensar melhor no assunto.

Como você viu aqui, mudar de curso não é um problema. Então fique tranquilo! Se o curso que escolheu parecia ser o ideal naquele momento, mas depois você percebeu que, na verdade, aquela graduação não é bem o que imaginava, agora você já conhece a saída.

Fazer uma transferência de curso é bem mais simples do que você pensava, não é verdade? Mas se você ainda tem alguma dúvida sobre o processo ou quer saber mais sobre outro assunto relacionado, não hesite em entrar em contato conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This