Sair do Brasil: como fazer um planejamento para morar fora

Passar um tempinho fora do país virou praticamente um pré-requisito para ser bem recebido pelo mercado de trabalho hoje em dia. E não é por menos! A experiência é sinal de que você é maduro, flexível, proativo e ainda traz consigo uma bagagem cheia de vivências únicas para ampliar o horizonte do seu empregador.

Então que tal tirar esse sonho do papel e descobrir como sair do Brasil de maneira segura, planejada e produtiva? Confira o passo a passo que elaboramos e veja no que deve ficar de olho antes de embarcar nessa aventura!

Encontre a melhor viagem para seu currículo

Logo na sua primeira pesquisa pela internet já vai dar para perceber que existe uma quantidade enorme de tipos de viagens diferentes para quem quer morar no exterior. Antes de se perder pelos resultados do Google, porém, é importante lembrar que, para seu investimento valer ao máximo, o ideal é procurar aquele programa que melhor complemente seu currículo e se encaixe nas suas metas.

Trabalhar fora

Embora a legislação sobre trabalhar no exterior tenha certas restrições, é possível conseguir um emprego temporário, que dê a você experiência e diferencial sem que precise imigrar para o país de destino. Dá para ser, por exemplo:

  • au pair ou babá, morando com uma família;
  • voluntário em causas humanitárias;
  • estagiário temporário, geralmente durante o período de férias;
  • garçom, recepcionista e ajudante em pequenos estabelecimentos.

São trabalhos mais informais, na maioria das vezes de meio horário e com data para terminar e salário reduzido, mas podendo contar com alguns benefícios, como moradia e alimentação.

Mesmo que não sejam na sua área, esses empregos podem ser vantajosos especialmente por permitirem que você pratique o idioma local com os falantes nativos.

Estudar fora

Já as oportunidades de estudar no exterior podem ser mais direcionadas para seus objetivos. Nesse caso, você pode fazer:

Aqui, a escolha vai depender principalmente do tempo e do custo de cada programa específico, assim como de sua relevância para seu segmento e a carreira que quer lançar no futuro.

Com uma pesquisa cuidadosa, avaliação de prós e contras e, se possível, inclusive a orientação especializada da sua instituição de ensino, certamente vai ficar mais fácil escolher a opção ideal para você!

Saiba quando sair do Brasil

Decidido o tipo de viagem que você gostaria de fazer, é preciso pensar ainda sobre a melhor época para embarcar. Afinal, principalmente para quem já está trabalhando ou estudando, não é fácil (nem prudente, aliás) deixar tudo para trás de repente, não concorda?

É claro que a vontade de ir gera um sentimento de pressa, mas para garantir que o investimento vai valer a pena e evitar perrengues, o planejamento a longo prazo é essencial.

Para quem acabou de começar um curso ou entrar em um emprego novo, pode ser estratégico aguardar um pouquinho. Assim, você pode entender melhor quais são as demandas da área, descobrir quais são seus próprios interesses e organizar a viagem com base nisso.

Além do mais, dessa forma dá para conversar com o chefe ou o coordenador do curso a fim de conciliar suas atividades no Brasil com o período lá fora. Será melhor sair só durante as férias ou passar o semestre todo no exterior? Como fica a sua vaga durante esse período? Tudo isso deve ser respondido antes da viagem!

Corra atrás dos requisitos para viajar

Após procurar bem e refletir bastante, selecionar seu programa e a melhor época para morar fora, é hora de começar a pensar na checklist de requisitos para fazer a viagem acontecer. Veja só!

Dossiê de candidatura

Seja para trabalhar ou para estudar, você provavelmente terá que elaborar um pequeno dossiê na hora de se candidatar ao emprego ou ao curso escolhido. Volte no site do programa, faça telefonemas e mande os e-mails necessários, anotando tudo o que você vai precisar para se inscrever.

Para você ter uma ideia, algumas das exigências mais comuns são:

  • CV traduzido para o idioma do destino;
  • histórico escolar, traduzido e original;
  • cartas de recomendação dos seus professores ou chefes;
  • carta de intenções, em que você explica por que quer participar do programa;
  • teste de proficiência no idioma local.

Domínio do idioma

Não é só porque você vai morar fora que precisa falar outra língua. Estágios, cursos e experiência profissional em países onde se fala português também podem ser valiosos, dependendo da sua área e dos seus objetivos.

Caso a experiência com um idioma estrangeiro seja parte das suas metas, no entanto, vai ser preciso estudar para já chegar sabendo alguma coisa, mesmo se você não precisar comprovar a proficiência antes de embarcar.

Procure organizar uma rotina de estudos diária e vá praticando até a data da viagem, mesmo que seja só por meia horinha por dia. Descer no seu destino com segurança na língua local vai deixá-lo muito mais à vontade e preparado para qualquer desafio que surgir nessa jornada.

Documentação para a viagem

Finalmente, não se esqueça de conferir, com a devida antecedência, todos os documentos de que você precisa para desembarcar e morar lá fora, incluindo:

  • passaporte;
  • visto;
  • comprovante de fundos para se sustentar durante a viagem;
  • seguro de viagem internacional.

Mesmo que não seja listado como exigência pelo setor de imigração do país, esses documentos podem ser úteis na hora de passar pela alfândega, devendo ser providenciados o quanto antes.

Planeje-se para bancar a viagem

Por último, certo de que você escolheu a opção mais interessante para a sua carreira, chegou o momento de fazer as contas e organizar as finanças para tirar a viagem do papel sem precisar ficar no vermelho.

Anote a quantia de que você vai precisar no total para viajar com conforto, sem medo de passar aperto, incluindo:

  • o valor das passagens de ida e volta;
  • o custo do programa — lembrando que, mesmo no caso de trabalhos remunerados, pode haver uma taxa da agência organizadora;
  • o preço da hospedagem e do seguro;
  • os gastos com comida e transporte;
  • o valor das taxas para tirar o passaporte, o visto e traduzir a documentação;
  • um fundo para emergências, deixando uma sobrinha para você se virar na volta ao Brasil.

Com o orçamento em mãos e a vontade de sair do Brasil no peito, só resta planejar seus gastos para ir juntando o valor necessário com paciência e determinação!

Lembre-se de que esse é um investimento no seu futuro. E não deixe de conferir se a sua escola ou empresa tem algum convênio com instituições estrangeiras, ok? Assim, você tem muito menos trabalho se planejando e conta com a garantia de que estará em boas mãos lá fora!

Que tal conhecer os programas de intercâmbio da UniNorte e dar o primeiro passo em direção a essa aventura? Visite nosso site e aproveite para assinar a newsletter aqui do blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This