O que um designer gráfico faz e do que você precisa para ser um?

Acredite: você dificilmente passa um dia sem ver ou experienciar algo criado por um designer gráfico. Isso porque o trabalho desse profissional está exposto nos mais diversos meios de comunicação, como sites, revistas, jornais, mídias sociais, jogos e assim por diante. Interessante, não acha?

Basicamente, o que um designer gráfico faz é desenvolver processos de comunicação visual. Por meio de imagens, animações e textos, o designer usa suas habilidades de desenho, estética, diagramação e, principalmente, criatividade para fazer a comunicação acontecer. Está ficando mais e mais interessado a cada parágrafo?

Se pretende seguir nessa profissão, você precisa conhecer desde já as principais atividades de um designer gráfico, como é sua rotina de trabalho e onde pode trabalhar. Só assim poderá tomar uma decisão realmente acertada. A boa notícia é que reunimos aqui tudo o que você precisa saber sobre a profissão. Então confira!

O que faz um designer gráfico, afinal?

Como mencionamos, um designer gráfico é responsável pela criação visual de processos técnicos e criativos para emitir ideias, conceitos e mensagens. A profissão surgiu como uma ramificação do desenho industrial, envolvendo as áreas de design gráfico e produto.

O trabalho desse profissional também envolve a criação de meios para a propagação de mensagens, a organização de informações e até o entretenimento do público.

As criações de um designer gráfico estão inseridas em nosso cotidiano nas mais diferentes áreas, como:

  • capas e ilustrações de livros;
  • embalagens de produtos;
  • logotipos e identidade visual de empresas;
  • vinhetas de cinema e TV;
  • diagramação de jornais, livros e revistas;
  • criação de sites, redes sociais e blogs;
  • jogos;
  • anúncios.

Como é o dia a dia de trabalho desse profissional?

Para cada trabalho ou projeto, o designer estuda gaps, identifica possibilidades e desenvolve conceitos relacionados ao que foi pedido. Quando bem escolhidos, a tipografia, as cores, a produção gráfica, a ergonomia e tantos outros fatores são capazes de trazer resultados positivos de forma organizada e esteticamente atraente.

É bastante comum que esse profissional participe de reuniões com os demais envolvidos no processo de criação ou no próprio atendimento ao cliente, uma vez que o brainstorming (reunião para discutir ideias) é essencial para o desenvolvimento de ótimos produtos.

Como é o mercado de trabalho?

Com a tecnologia cada vez mais evoluída e um tipo novo de mídia nascendo praticamente todo dia, o número de novos profissionais na área desejando fazer a diferença também aumenta. Pois é essa constante demanda que faz com que as oportunidades estejam sempre em alta.

Naturalmente, portanto, o mercado de trabalho de design gráfico é altamente competitivo. Tal concorrência faz com que os profissionais tenham que aprender a divulgar seu trabalho onde realmente interessa, além de buscarem constantemente se diferenciar dos demais, investindo em especializações e buscando inovar, sempre de olho nas novidades. Tudo isso é essencial para aumentar as chances de contratação.

Como divulgar o trabalho?

É vital entender o quanto antes que o portfólio é o currículo dos designers gráficos. É no portfólio, afinal, que esses profissionais reúnem seus principais projetos e trabalhos, sempre tomando o cuidado de atualizar a cada novidade. Lembre-se: clientes ou futuras empresas se basearão no que você já criou, reconhecendo ali sua capacidade.

No fim das contas, um portfólio nada mais é que uma lista que inclui os melhores trabalhos de um profissional. No caso do designer gráfico, essa lista é bem visual. Ali ficam expostos os desenhos, as ilustrações, as manipulações e quaisquer outras soluções criativas criadas por ele ao longo de sua jornada.

Qual a média salarial?

A média salarial para os primeiros empregos nos setores de educação, comunicação e indústria é de cerca de 1.800 reais. Em geral, o salário costuma girar entre esse valor e 4.200 reais. Os números sobem conforme o designer gráfico avança na carreira, adquirindo mais conhecimento e experiência.

Onde um designer gráfico atua?

Como você deve ter percebido, praticamente todos os setores hoje em dia precisam de algum tipo de trabalho realizado por designers gráficos. Seja para a criação de um logotipo ou para o desenvolvimento de uma campanha publicitária internacional, as habilidades desse profissional nunca foram tão requisitadas.

Veja agora alguns exemplos de empresas onde um designer pode exercer seu trabalho:

  • agências de publicidade dos mais variados portes;
  • departamentos de criação de conteúdo e comunicação de grandes empresas;
  • gráficas;
  • startups;
  • indústrias;
  • estúdios de criação de imagens 3D, ilustração e manipulação de imagem;
  • estúdios de edição de fotografia, imagem e vídeo;
  • desenvolvendo trabalhos como freelancer.

E atenção: essa última opção representa uma boa fatia desses profissionais, designers que escolhem receber por projetos e trabalhar por conta própria. Por um lado, essa opção possibilita um controle maior da agenda de trabalhos, além de viabilizar uma rotina mais flexível. Por outro lado, é preciso considerar que a renda não é fixa e que o trabalho deve ser divulgado continuamente.

É preciso ter conhecimento técnico prévio?

Podemos dizer que o designer gráfico resolve problemas de comunicação a partir da criação de desenhos e artes. No entanto, mesmo que o profissional seja um ótimo desenhista, sua principal ferramenta hoje em dia é o computador. Com esse recurso, o designer está equipado com programas como Illustrator, Photoshop, CorelDraw, 3D Studio Max, Adobe Premiere, Pacote Adobe e muito mais!

Não, não basta saber só um pouquinho sobre o uso desses programas para ser um bom profissional. É preciso estudar a fundo cada um dos softwares, para que suas habilidades sejam colocadas em prática conforme a necessidade do dia a dia. Afinal, além de bastante técnica, um designer também precisa ter talento e estudo!

Em um curso de design gráfico, não só o entendimento básico como a efetiva manipulação dessas ferramentas costumam ser cobertos, dando aos alunos uma excelente noção para iniciar a carreira com o pé direito!

Qual o perfil do aluno desse curso?

As principais características presentes em um estudante de designer gráfico geralmente são: gosto pela arte, criatividade, afinidade com desenho e boa noção de senso estético. Apesar de não serem pré-requisitos, esses pontos são importantes, podendo levar ao destaque na profissão.

Além dos atributos que acabamos de citar, ainda é preciso ter certa afinidade com a tecnologia. Afinal, como dissemos, o dia a dia desse profissional envolve a manipulação de ferramentas avançadas.

Outro fator indispensável que pesa bastante no currículo de todo bom profissional da área é a graduação em um bom curso. No fim das contas, é nesse meio que as habilidades primordiais são desenvolvidas, por meio de técnicas eficientes, uso de ferramentas adequadas e o repasse capacitado de conhecimento.

Por fim, agora que você sabe o que um designer gráfico faz, como é seu dia a dia de trabalho e quais são as habilidades mais presentes nesse profissional, pode avaliar melhor se essa é ou não uma boa opção de carreira para você!

E então, gostou de saber mais sobre essa profissão? Aproveite para assinar a nossa newsletter e receber em primeira mão mais conteúdos tão interessantes quanto este!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This