O que um designer gráfico faz e do que você precisa para ser um?

Acredite: você dificilmente passa um dia sem ver ou experienciar algo criado por um designer gráfico. Isso porque o trabalho desse profissional está exposto nos mais diversos meios de comunicação, como sites, revistas, jornais, mídias sociais, jogos e assim por diante. Interessante, não acha?

Basicamente, o que o designer gráfico faz é desenvolver processos de comunicação visual. Por meio de imagens, animações e textos, ele utiliza suas habilidades de desenho, estética, diagramação e, principalmente, criatividade para fazer a comunicação acontecer. Está ficando mais e mais interessado a cada parágrafo?

Se pretende seguir nessa profissão, você precisa conhecer desde já as principais atividades de um designer gráfico, como é sua rotina de trabalho e onde pode atuar. Só assim poderá tomar uma decisão realmente acertada. A boa notícia é que reunimos aqui tudo o que você precisa saber sobre a profissão. Então, confira!

O que o designer gráfico faz, afinal?

Como mencionamos, um designer gráfico é responsável pela criação visual de processos técnicos e criativos para emitir ideias, conceitos e mensagens. A profissão surgiu como uma ramificação do desenho industrial, envolvendo as áreas de design gráfico e produto.

O trabalho desse profissional também envolve a criação de meios para a propagação de mensagens, a organização de informações e até o entretenimento do público.

As criações de um designer gráfico estão inseridas em nosso cotidiano nas mais diferentes áreas, como:

  • capas e ilustrações de livros;
  • embalagens de produtos;
  • logotipos e identidade visual de empresas;
  • vinhetas de cinema e TV;
  • diagramação de jornais, livros e revistas;
  • criação de sites, redes sociais e blogs;
  • jogos;
  • anúncios.

Como é o dia a dia de trabalho desse profissional?

Para cada trabalho ou projeto, o designer estuda gaps, identifica possibilidades e desenvolve conceitos relacionados ao que foi pedido. Quando bem escolhidos, a tipografia, as cores, a produção gráfica, a ergonomia e tantos outros fatores são capazes de trazer resultados positivos de forma organizada e esteticamente atraente.

É bastante comum que esse profissional participe de reuniões com os demais envolvidos no processo de criação ou no próprio atendimento ao cliente, uma vez que o brainstorming (reunião para discutir ideias) é essencial para o desenvolvimento de ótimos produtos.

Como é o mercado de trabalho?

Com a tecnologia cada vez mais evoluída e um tipo novo de mídia nascendo praticamente todos os dias, o número de novos profissionais na área desejando fazer a diferença também aumenta. Pois é essa constante demanda que faz com que as oportunidades estejam sempre em alta.

Naturalmente, portanto, o mercado de trabalho de design gráfico é altamente competitivo. Tal concorrência faz com que os profissionais tenham que aprender a divulgar seu trabalho onde realmente interessa, além de buscarem constantemente se diferenciar dos demais, investindo em especializações e buscando inovar, sempre de olho nas novidades. Tudo isso é essencial para aumentar as chances de contratação.

Como divulgar o trabalho?

É vital entender o quanto antes que o portfólio é o currículo dos designers gráficos. É no portfólio, afinal, que esses profissionais reúnem seus principais projetos e trabalhos, sempre tomando o cuidado de atualizá-lo a cada novidade. Lembre-se: clientes ou futuras empresas se basearão no que você já criou e reconhecerão ali a sua capacidade.

No fim das contas, um portfólio nada mais é que uma lista que inclui os melhores trabalhos de um profissional. No caso do designer gráfico, essa lista é basicamente visual. Ali ficam expostos os desenhos, as ilustrações, as manipulações e quaisquer outras soluções criativas criadas por ele ao longo de sua jornada.

Qual é a média salarial da profissão?

De maneira geral, a média salarial para designers gráficos costuma girar entre R$ 1 mil e R$ 5 mil. Os números sobem conforme o profissional avança na carreira, adquirindo mais conhecimento e, claro, experiência.

Outro fator que influencia diretamente o salário de um profissional da categoria é a região onde ele mora e ainda diversos aspectos relacionados ao seu empregador. Além disso, se o designer decidir atuar como autônomo, receberá valores de acordo com os projetos que realizar.

Onde um designer gráfico atua?

Como você deve ter percebido, praticamente todos os setores hoje em dia precisam de algum tipo de trabalho realizado por designers gráficos. Seja para a criação de um logotipo ou para o desenvolvimento de uma campanha publicitária internacional, as habilidades desse profissional nunca foram tão requisitadas.

Veja a seguir alguns exemplos de empresas nas quais um designer pode exercer seu trabalho:

  • agências de publicidade dos mais variados portes;
  • departamentos de criação de conteúdo e comunicação de grandes empresas;
  • gráficas;
  • startups;
  • indústrias;
  • estúdios de criação de imagens 3D, ilustração e manipulação de imagem;
  • estúdios de edição de fotografia, imagem e vídeo.

Além do trabalho em empresas, muitos profissionais desenvolvem trabalhos como freelancer, pois preferem receber por projetos e trabalhar por conta própria. Essa opção possibilita um controle maior da agenda de trabalhos, além de viabilizar uma rotina muito mais flexível. No entanto, é preciso considerar que a renda mensal não será fixa e que o trabalho deve ser divulgado continuamente.

E aí, você curtiu essas possibilidades? Então, continue a leitura do artigo — explicamos a seguir o que o designer gráfico faz em quatro áreas superbacanas que pode atuar. Confira agora!

Design digital

Graças à internet e aos avanços tecnológicos das últimas décadas, temos acesso a diversos dispositivos atualmente, como smartphones, tablets, notebooks etc. E nesse atual mundo online, o designer gráfico tem um papel importante, afinal, ele pode criar inúmeras imagens digitais.

Pode ser o layout de um site de entretenimento, de um aplicativo ou até toda a identidade visual de uma determinada marca na web. Embora muitos profissionais compreendam algumas linguagens de programação, é importante salientar que eles não são responsáveis pelo funcionamento dessas interfaces digitais.

Identidade visual

Como mencionamos, o profissional pode trabalhar com a concepção de toda a identidade visual de uma marca, considerando sempre as características principais de seu logo. Porém, nesse caso, o que o designer gráfico faz vai além da criação de imagens.

Cabe a ele também a elaboração de um manual de identidade visual com informações acerca de tipografias, cores e formas — além de outras especificações relacionadas à marca que devem ser respeitadas.

Produção gráfica

Por trás de diversos materiais impressos, como revistas, catálogos e embalagens, há um designer. E saiba que a atuação na área de produção gráfica é bastante tradicional e, mesmo com a chegada da internet, ainda é muito valorizada.

Então, se você deseja trabalhar nesse setor, precisará ser bastante detalhista. Também deverá conhecer softwares como Photoshop, Illustrator e InDesgin, além de possuir conhecimentos básicos sobre as etapas de produção gráfica.

Direção de arte

Você curte o mercado audiovisual? Então, a área de direção de arte foi feita para você! Imagine poder trabalhar com cenografia, criar aberturas de programas de televisão ou ainda desenvolver um conceito visual de um filme, por exemplo. As possibilidades são fascinantes, não é verdade?

Para encarar esse setor, é essencial ser um profissional multifuncional. Você necessitará investir bastante no conhecimento de muitas áreas correlatas à direção de arte, como cinema, publicidade, TV, fotografia etc.

É preciso ter conhecimento técnico prévio?

Podemos dizer que o que o designer gráfico faz é resolver problemas de comunicação a partir da criação de desenhos e artes. No entanto, mesmo que o profissional seja um ótimo desenhista, sua principal ferramenta hoje em dia é o computador. Com esse recurso, o designer está equipado com programas como Illustrator, Photoshop, CorelDraw, 3D Studio Max, Adobe Premiere, Pacote Adobe e muito mais!

E não basta saber só um pouquinho sobre o uso desses programas para ser um bom profissional. É preciso estudar a fundo cada um dos softwares para que suas habilidades sejam colocadas em prática conforme a necessidade do dia a dia. Afinal, além de bastante técnica, um designer também precisa ter talento e estudo!

Em um curso de design gráfico, não só o entendimento básico como a efetiva manipulação dessas ferramentas costumam ser cobertos, dando aos alunos uma excelente noção para iniciar a carreira com o pé direito.

Qual é o perfil do aluno desse curso?

As principais características presentes em um estudante de designer gráfico geralmente são:

  • gosto pela arte;
  • criatividade;
  • afinidade com desenho;
  • boa noção de senso estético.

Apesar de não serem pré-requisitos, esses pontos são bem importantes, podendo levar ao destaque na profissão.

Além dos atributos que acabamos de citar, ainda é preciso ter certa afinidade com a tecnologia. Pois, como destacamos, o dia a dia desse profissional envolve a manipulação de ferramentas digitais avançadas.

Como se destacar na carreira de designer gráfico?

Depois de conhecer o que o designer gráfico faz, é hora de entender de que maneira você pode se especializar na profissão e, enfim, destacar-se dos demais e garantir oportunidades incríveis.

Um fator indispensável que pesa bastante no currículo do profissional da área é a graduação em um bom curso. É nesse primeiro momento que as habilidades primordiais são desenvolvidas por meio de técnicas eficientes, uso de ferramentas adequadas e o repasse capacitado de conhecimento.

De modo geral, o mercado de trabalho atual está acirrado e, como falamos, para os designers gráficos ele sempre foi altamente competitivo. Portanto, para ascender na carreira, é primordial apostar em especializações constantemente com o intuito de potencializar suas competências e valorizar cada vez mais o seu trabalho.

Recomendamos que o estudo seja algo importante em seu cotidiano, afinal, o design está em constante evolução. Saiba que manter-se atualizado por meio de cursos de extensão ou pós-graduações, por exemplo, fará a diferença no momento de conquistar o emprego que você sempre quis.

Por fim, agora que você sabe o que o designer gráfico faz, como é seu dia a dia de trabalho e quais são as habilidades mais presentes nesse profissional, pode começar a avaliar melhor se essa é ou não uma boa opção de carreira para você!

Gostou deste post? Então, o que acha de continuar em nosso blog e conferir mais um artigo que poderá ajudar você a escolher o curso de seus sonhos? Descubra agora mesmo quais são as profissões mais bem pagas do mercado!

Comments (1)

  1. Olá gostei foi muito bom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This