Faculdade pública ou privada: vantagens e desvantagens de cada uma

Na hora de escolher uma instituição para fazer o curso superior, você pode se questionar sobre o que é melhor: faculdade pública ou privada? Essa é uma questão complexa, que não dá para responder assim, sem analisar.

A resposta para essa pergunta depende única e exclusivamente de você. Sim, de você mesmo, que é quem vai estudar. Cada opção tem suas características, vantagens e desvantagens. A escolha da melhor depende do que você valoriza, daquilo que busca em uma faculdade e da sua realidade pessoal.

Portanto, antes de decidir entre as duas opções, dê uma boa olhada neste post e confira os aspectos mais importantes na hora dessa escolha. Vamos lá?

Quais as diferenças entre as faculdades públicas e privadas?

A diferença mais visível entre as duas é a questão da mensalidade. Na faculdade particular, você paga a matrícula e um valor que pode variar de acordo com o número de disciplina que vai cursar semestralmente. O total relativo ao semestre é dividido em parcelas mensais. Já na pública, não é cobrada nenhuma taxa de matrícula, nem mensalidades, porque ela é mantida com dinheiro público. 

Nas duas opções, o material de estudo fica por sua conta. As universidades em geral possuem bibliotecas e, por meio delas, emprestam os livros aos alunos. Mas cópias e qualquer instrumentação técnica são pagos pelo estudante.

Muita gente defende o ensino público como sendo o melhor do país. Mas a realidade muda conforme cada instituição. Nada garante que sua formação será melhor nesse ou naquele lugar, porque isso depende de uma série de fatores, inclusive do seu esforço pessoal.

Quais as formas de ingresso na faculdade?

As faculdades federais, de forma geral, aderiram ao Sisu, que é o Sistema de Seleção Unificada do Governo Federal. Você faz o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e, com a nota obtida, concorre a uma vaga nas instituições participantes do programa. Já, entre as faculdades estaduais, a seleção é feita, na maior parte, por meio de vestibular, mas já existem várias que também participam do Sisu.

De modo geral, existem aquelas que destinam parte das vagas para o vestibular e outra para os participantes do Enem. 

As faculdades particulares não fazem parte do Sisu, mas muitas utilizam a nota do Enem como opção para que o candidato ingresse sem fazer vestibular.

Quais as vantagens e desvantagens de cada uma delas?

Faculdades particulares

O que mais se fala das faculdades particulares, em termos de desvantagens, é sobre a qualidade do ensino (quando comparadas às públicas) e o valor das mensalidades, que pode não ser acessível para algumas pessoas. Também existe a ideia de que o diploma das instituições privadas pesa menos na hora de uma seleção de emprego.

Por outro lado, o fato de ser de iniciativa privada geralmente faz com que as instalações sejam mais modernas e os campi, mais funcionais. Isso porque não existe o mesmo trâmite burocrático para aquisição de material e renovação de equipamentos que há em uma faculdade pública.

Conta também a favor das faculdades privadas o fato de que os professores geralmente vêm do mercado e conhecem bem a realidade do profissional formado. Assim, eles costumam orientar a formação dos alunos para ingressar em uma carreira de sucesso.

Faculdades públicas

A maior vantagem da faculdade pública, sem dúvida, é o baixo custo direto para o estudante. Existe muita gente que não tem condições de arcar com as mensalidades das particulares e isso faz com que a concorrência para ingressar nessas instituições seja muito alta: é bem difícil conseguir uma vaga!

Outro fator é o reconhecimento do profissional. Quando se analisa somente a formação superior, o diploma federal é o mais bem-visto no mercado. 

As aulas são ministradas por professores de carreira, que possuem mestrado, doutorado e outras especializações. Mas, mesmo tendo (muitas vezes) uma qualificação melhor, o ensino acaba tendo um viés muito acadêmico, que procura formar novos professores.

Qualquer compra em uma instituição pública passa por uma burocracia imensa: é preciso ter verba, orçamento, aprovação, licitação, etc. Isso faz com que as instalações públicas sejam, muitas vezes, ultrapassadas. Quem nunca ouviu falar sobre a falta de equipamentos, laboratórios e coisas assim nas faculdades federais e estaduais?

Essa mesma questão burocrática também prejudica a atualização dos cursos. Muitas vezes, o mercado de trabalho demanda um perfil de profissional que as faculdades públicas não formam, pois não possuem novos cursos.

Isso difere das particulares, que têm mais liberdade para se atualizar e acompanhar as tendências de mercado mais promissoras.

Como decidir entre uma faculdade pública ou privada?

Na hora da escolha, você precisa avaliar o que deseja fazer e quais instituições oferecem o curso do seu interesse em sua cidade. Às vezes, você pode ser aprovado pelo Sisu em outro estado, mas não tem como se manter sem um forte apoio familiar. Pode ser que saia mais caro fazer isso do que pagar a mensalidade de uma faculdade particular!

Quando estiver avaliando suas opções, veja a possibilidade de visitar as instalações de cada uma delas. Avalie quesitos como:

  • localização do campus;

  • modernização das instalações;

  • presteza e qualidade no atendimento, etc.

Não esqueça de analisar a grade curricular de todas elas: o mesmo curso pode ter formações completamente distintas em instituições diferentes. Veja qual se aproxima mais do tipo de profissional que você pretende ser!

Como fazer um bom curso em uma faculdade privada?

Você não precisa perder anos da sua vida tentando entrar no curso que deseja em uma faculdade pública somente por questões financeiras. Existem várias opções para quem não tem condições de arcar com as mensalidades, por exemplo:

Prouni

É o programa de bolsas concedidas pelo Governo Federal para quem fez o Enem e pretende estudar em uma faculdade privada.

Fies

Também mantido pelo Governo Federal, o Fies é um sistema de financiamento estudantil. Com ele, você adia o pagamento das mensalidades para quando estiver formado e já colocado no mercado. Para concorrer a uma vaga, também é preciso ter feito a prova do Enem.

PRAVALER

É similar ao Fies, mas não tem ligação com o poder público nem requer participação no Enem.

Viu só? A questão financeira não é um beco sem saída! Você tem várias opções para recorrer e não adiar seu sonho de um diploma superior. “Mas ainda tem a questão do peso do diploma!”, você pode dizer. Mas quer saber de um segredo? No fim das contas, para o mercado de trabalho, sua postura e seu desempenho profissional que contam mais!

Se você não parar de estudar depois de formado, investir em uma pós-graduação e fizer cursos complementares, vai sempre se qualificar mais e mais. Some-se a isso uma postura de liderança, proatividade, assertividade, e você vai conquistar espaço por onde for!

Faculdade pública ou privada? No fim das contas, o importante é você aproveitar o que o curso e a instituição têm de melhor a oferecer e investir em si mesmo. Quer conversar mais a respeito? Entre em contato conosco e agende uma visita. Você vai conhecer um mundo de excelentes possibilidades!

Comments (2)

  1. Olá!! No meu caso eu fiz o ENEM de 2013, e tirei a nota final na redação 640. Então eu tem chance de concorrer uma vaga pra Fies no segundo semestre 2018 na Instituiçao da UNINORTE, no caso do curso de Farmácia.

    1. Olá Romário, passamos mais informações sobre sua situação para o seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This