Faculdade de Jornalismo: quais são as principais áreas de atuação?

Escolher um curso superior é uma decisão muito importante que costuma influenciar toda a carreira de uma pessoa — mesmo que ela acabe mudando de área no futuro. Por isso, reunimos algumas informações relevantes para quem quer fazer faculdade de Jornalismo.

Na verdade, essa pesquisa prévia é essencial para preparar melhor o estudante para essa nova etapa, independentemente de qual campo for o escolhido. Conhecer o curso de perto e ficar atento às tendências do mercado de trabalho ajuda muito a tomar uma decisão bem fundamentada.

E você, deseja saber mais sobre o Jornalismo e suas oportunidades? É só continuar a leitura deste post!

A faculdade de Jornalismo

Já que a graduação é o primeiro passo para garantir a qualificação profissional, vamos começar por ela. Um curso de bacharelado em Jornalismo dura, em média, 4 anos.

Durante esse período, o aluno deve se preocupar em adquirir todos os conhecimentos necessários e desenvolver as habilidades para exercer a profissão depois de formado.

No caso do jornalista, uma característica determinante é a multidisciplinaridade natural da área. É preciso construir uma ampla visão de mundo para que várias vertentes de trabalho possam ser exploradas no futuro.

Por exemplo, é difícil definir no início da faculdade se você vai querer trabalhar com esportes, entretenimento, cultura, política, economia ou outro segmento. Da mesma forma, é importante aprender os conceitos e técnicas envolvidas em vários tipos de mídia, como rádio, televisão, internet etc.

Diante disso, o aluno deve procurar um curso que ofereça uma boa formação que atenda às principais demandas do mercado atual. Portanto, uma de suas preocupações é analisar a grade curricular de cada instituição de ensino em busca de uma estrutura completa e atualizada.

Outro diferencial é o contato com o mercado desde cedo, o que ajuda no acúmulo de experiências e nas decisões do universitário. Para completar, a estrutura da faculdade e a sua avaliação perante ao MEC (Ministério da Educação) são outros dois aspectos significantes.

O mercado de trabalho para jornalistas

O cenário de trabalho constitui outra preocupação para os futuros jornalistas, como não poderia deixar de ser. Afinal, a construção da carreira de cada um depende das oportunidades que a profissão oferece.

Nesse sentido, o contexto é um pouco delicado e, ao mesmo tempo, oferece boas perspectivas. De certa forma, a onda das fake news compromete o trabalho jornalístico, ainda mais considerando que a internet permite que qualquer informação seja divulgada. Por outro lado, isso fortalece a importância do trabalho realizado pelos profissionais sérios.

Então, é possível dizer que o mercado está aquecido, sobretudo pelo fato de que qualquer negócio nos dias de hoje precisa investir em comunicação. Essa é uma grande área que pode ser explorada pelos profissionais do Jornalismo, já que a formação permite essa relação próxima.

Um dos campos em alta é a assessoria de imprensa, tanto para pessoas físicas quanto jurídicas. O empreendedorismo é outra possibilidade bastante atrativa, principalmente pela chance de gerenciar o seu próprio tempo e diversificar a cartela de clientes como prestador de serviços.

O destaque fica mesmo para a internet e para os modelos de negócio que estejam presentes no universo virtual. Com o fechamento de inúmeros jornais, revistas e outros veículos impressos, não há como negar que o mundo digital é o novo grande foco de atuação.

Áreas de atuação no Jornalismo

Ainda que as demandas tenham se transformado com o passar do tempo e todo o mercado tenha sofrido mudanças, as áreas de atuação no Jornalismo continuam diversas. Como foi dito, uma das maiores é perceber as tecnologias como principais ferramentas da profissão no mundo de hoje — em especial, a internet.

Sendo assim, o profissional pode focar sua dedicação no tipo de carreira que parecer mais interessante. Veja a seguir algumas sugestões:

Reportagem

Toda notícia divulgada tem (ou, pelo menos, deveria ter) um jornalista responsável por trás da apuração dos fatos. Essa função é fundamental para que a sociedade tenha informações verdadeiras e matérias interessantes.

Logo, a reportagem é como uma essência do Jornalismo e pode ser desempenhada nas mais diferentes áreas.

Assessoria de imprensa e comunicação

Cuidar da imagem de pessoas e empresas é basicamente o que faz um assessor de imprensa. O intuito é conseguir um bom posicionamento para os clientes nas suas relações com seus públicos, servindo de porta-voz e representando seus interesses.

Atualmente, é uma das vertentes mais promissoras para o jornalista, já que as pessoas e os negócios precisam se posicionar, mas nem sempre possuem tempo ou a expertise necessária para isso.

Marketing digital

Se antes as redações de revistas e jornais concentravam grande parte dos graduados em Jornalismo, hoje provavelmente esses profissionais estão atrás de computadores produzindo conteúdos para os meios digitais.

Sendo assim, esse é um dos setores com maior oferta de trabalho. A atualização dos sites, blogs, redes sociais e outras ferramentas é enriquecida com o conhecimento jornalístico.

Jornalismo temático

Muitas vezes, o profissional escolhe um campo de interesse antes de decidir qual vaga ou em qual empresa pretende atuar. Isto é, o que importa para ele é trabalhar com um assunto específico, como: esporte, política, arte ou qualquer outro.

Logo, o aprofundamento no tema é uma tarefa indispensável para se destacar no mercado, pois só os especialistas conseguem autoridade para atingir boas posições.

Fotojornalismo

A comunicação ou até o próprio Jornalismo não envolvem apenas textos. As imagens também ajudam a formar os conteúdos, além de atrair a atenção das pessoas e ilustrar os fatos. Por isso, há quem se interesse por essa parte mais visual. Nesse caso, o domínio das técnicas de fotografia é primordial.

Base salarial de um jornalista

Para finalizar, é bom ter uma ideia de como o mercado remunera o profissional da área. A princípio, no Brasil, a profissão não é regulamentada a ponto de ter um salário mínimo único. Existem sindicatos estaduais que estabelecem referências ou pisos salariais, mas isso pode variar muito.

Segundo o Guia de Profissões e Salários da Catho, a média salarial no país é de R$ 2.041,22 em início de carreira. Contudo, isso varia muito de acordo com as atividades exercidas, posições ocupadas, experiência do profissional, tipo de empregador, entre outros fatores.

O ideal é que o estudante procure se especializar cada vez mais e aumente o seu nível de capacitação para conquistar melhores remunerações. Por essa razão, fazer uma especialização após terminar a faculdade é uma ótima recomendação para se diferenciar no mercado.

E aí, você gostou de saber mais sobre a faculdade de Jornalismo? Se você tem interesse pela área, não deixe de entrar em contato com a UniNorte para conhecer o nosso curso. Estamos de portas abertas para ajudá-lo a construir uma carreira de sucesso!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This