Exatas ou humanas: 4 dicas para ajudar na escolha

Quando uma pessoa decide fazer faculdade, a primeira pergunta que normalmente vem à cabeça é: que curso escolher? No entanto, embora esse pareça ser o caminho mais natural, começar por aí nem sempre é uma boa ideia.

A verdade é que, como existem centenas de cursos diferentes, a gama de opções entre as quais escolher é muito ampla. Com isso, a ansiedade que já é natural do momento vai às alturas, o que, é claro, não ajuda em nada na hora de tomar uma decisão firme. Então o que fazer?

Para não correr esse risco, você pode começar reduzindo as opções de um jeito bem fácil; basta escolher entre exatas ou humanas! Confira no post de hoje 4 dicas imperdíveis para dar esse primeiro passo com o pé direito!

1. Comece o processo se analisando

Uma vez que sua personalidade tem grande impacto sobre a afinidade estabelecida com a área de exatas ou a área de humanas, o melhor a fazer é começar olhando para si mesmo. Para você ter uma noção:

  • pessoas muito extrovertidas e comunicativas poderão encontrar mais espaço para interagir com outros nos cursos de humanas;
  • pessoas altamente focadas terão mais oportunidade de trabalhar em ambientes que propiciam esse foco se optarem por um curso de exatas;
  • pessoas mais reflexivas ou com veia artística poderão explorar essas características nos cursos de humanas;
  • pessoas que gostam de resolver problemas ou se apoiam mais na lógica terão a chance de desenvolver essas qualidades em um curso de exatas.

Um bom ponto de partida está, portanto, em pensar sobre seus hobbies, seus interesses, seus pontos fortes e fracos, a forma como você se relaciona com as pessoas, onde você gosta de passar seu tempo e assim por diante. Só tome cuidado para não parar por aqui, achando que o problema está resolvido, ok?

Lembre-se: embora exista sim uma boa dose de verdade nessa correlação entre personalidade e área de trabalho, essa ainda é uma generalização. Afinal, quem disse que uma pessoa muito extrovertida não pode se dar bem fazendo uma graduação em Engenharia? Você deve, portanto, basear sua escolha em mais informações.

2. Pense em seus objetivos de vida e de carreira

Independentemente de optar por exatas ou humanas, sua escolha de graduação deve estar bem alinhada com o que você busca para sua vida e, principalmente, para sua carreira. Isso porque cada área abre um tipo diferente de porta. Tipicamente, os cursos de humanas são para quem deseja:

  • trabalhar como autônomo ou com educação;
  • seguir uma carreira acadêmica, como pesquisador.

Enquanto isso, os cursos de exatas são mais voltados para pessoas que querem:

  • trabalhar no mundo corporativo;
  • empreender, abrindo sua própria empresa.

Essa diferença está relacionada basicamente à maneira como os cursos são desenvolvidos. De forma geral, os cursos de humanas são mais teóricos, enquanto os cursos de exatas trazem um componente prático mais forte. Pois isso acaba se refletindo nas oportunidades que eles propiciam.

No entanto, é claro que você pode vencer essa divisão. Dá para se formar em Letras e conquistar espaço na gestão de uma grande empresa? Obviamente que sim! Para isso, porém, é bem possível que tenha que se empenhar mais que um profissional formado, por exemplo, em Engenharia de Produção.

Até aqui tudo ótimo e todas as opções são boas, certo? Mas qual delas é realmente a ideal para você? Pense em como você gostaria de viver daqui a 10 ou 15 anos. Pensou? Agora imagine qual área propiciaria esse estilo de vida com mais facilidade. A resposta que você tanto procura pode estar aí.

3. Entenda a diferença básica entre as áreas

A diferença mais básica que você deve considerar ao escolher entre exatas ou humanas está no núcleo de matérias comuns. Em outras palavras: existe um conjunto de matérias que qualquer curso de exatas vai propor, assim como existe um conjunto de matérias que qualquer curso de humanas vai propor.

Em exatas, esse núcleo de matérias comuns geralmente inclui Cálculo, Física e Química. Já no caso de humanas, inclui algum idioma (em muitos casos, o Inglês), além de Filosofia e Sociologia. Depois, ao longo do curso, todos os outros conhecimentos são construídos em cima do que você aprendeu nessa espécie de pacote básico.

Isso significa que, por mais que você escolha Ciências da Computação porque adora linguagem de programação, terá que passar em Cálculo primeiro, assim como todos os outros alunos de exatas. Assim, se você não gosta das matérias iniciais ou não tiver a mínima aptidão para elas, pode demorar um pouco mais a engrenar na faculdade.

Aliás, sabia que muitos alunos de graduação desistem logo no primeiro semestre justamente porque não pesquisaram direito sobre a grade curricular do curso? Para que isso não aconteça com você, basta levar em consideração o que acha do núcleo de matérias comuns para fazer sua escolha!

4. Observe as oportunidades para cada mercado

Um dos grandes dilemas da escolha profissional costuma ser: fazer o que ama ou focar no dinheiro? Provavelmente, o melhor caminho é tentar equilibrar essas opções. Isso significa que, além de considerar os pontos que levantamos até aqui, você também deve tentar se informar sobre as oportunidades que o mercado de trabalho oferece para profissionais formados em exatas ou humanas.

Nesse ponto, não é preciso se concentrar tanto em cursos específicos. Isso porque, como você pode reparar facilmente, quando as empresas anunciam uma vaga, geralmente aceitam currículos de vários cursos diferentes, desde que na área certa. Não é nada raro, por exemplo, ver anúncios de emprego pedindo:

  • profissionais formados em Jornalismo, Comunicação, Relações Públicas e afins;
  • profissionais formados em Economia, Administração, Ciências Contábeis e afins;
  • profissionais formados em Engenharia Mecânica, Elétrica, Mecatrônica e afins.

A maioria dos empregadores não está tão preocupado com um curso específico, mas com uma área de conhecimento. Pensando nisso, você pode fazer uma pesquisa em sites de emprego da sua região, observando para qual área há mais ofertas de trabalho. Com isso, já pode ter uma noção de qual alternativa proporcionará maior segurança profissional.

Vale ainda acompanhar ao menos as principais pesquisas do mercado de trabalho. Sabia que, todos os anos, a mídia divulga quais são os profissionais em alta e também os em baixa? Pois essa é outra maneira de entender se o mercado está pendendo para exatas ou humanas!

E então, conseguiu chegar a uma decisão com nossas dicas? Para você, quem vence essa batalha: exatas ou humanas? Mas sem problema se você ainda tem dúvidas, viu? Quem sabe podemos ajudar nos próximos posts? Assine a nossa newsletter para ficar de olho!

Comments (2)

  1. Nossa muito top essas informações. É uma realidade de muitos jovens que estão saindo do Ensino Médio, não saberem qual rumo tomar pra sua carreira. Muito obrigado foi de grande ajuda, parabéns pela iniciativa.

    1. Oi Hendril, que bom que gostou! Ficamos felizes em poder ajudar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This