Entenda como funciona a atuação do advogado trabalhista no mercado

Seja na esfera pública, seja na privada, o Direito é um curso para quem busca uma carreira promissora. Além do mais, é uma profissão que permite trabalhar em segmentos diversos — entre eles está a atuação como advogado trabalhista.

Vale ressaltar que esse é um campo com grande demanda, pois, apesar de ser regida pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), a relação entre empregados e empregadores é marcada por muitos conflitos. Além disso, é uma legislação que passou recentemente por mudanças, ampliando ainda mais a atuação desse profissional.

Quer seguir a área jurídica e conhecer como é o Direito Trabalhista, o mercado de trabalho e as mudanças para o advogado depois da reforma? Confira nosso post e entenda por que essa carreira oferece boas perspectivas profissionais!

O que é o Direito Trabalhista?

O Direito Trabalhista atua em prol do bom funcionamento das relações entre empregados e empregadores. É uma área de forte atuação, na medida em que está ligada a toda a população profissionalmente ativa do país.

Segundo Jaqueline Montenegro, advogada e professora da UniNorte, a atuação do advogado trabalhista se concentra em lidar com uma justiça especializada, própria para questões concernentes à relação de trabalho e emprego, em que existem conjuntos de leis específicas, como a CLT. “Na prática, ele pode trabalhar tanto para o trabalhador (empregado ou autônomo) quanto para empresas”, esclarece.

Dessa maneira, o advogado precisa se especializar na área de atuação para que possa interpretar a lei da melhor forma e, assim, atender o interesse de seu cliente. Entre outras, é um profissional que pode trabalhar com ações referentes a:

  • rescisões de contrato de trabalho;

  • demissões;

  • férias;

  • cálculo de horas extras;

  • questões relativas a comissões;

  • FGTS;

  • seguro-desemprego;

  • acidentes de trabalho.

Geralmente, os trabalhadores procuram o advogado trabalhista após o fim do vínculo com a empresa empregadora. O profissional pode atuar ainda em ações coletivas, representando um grupo ou um sindicato.

Em relação às empresas, principalmente as de porte maior e com grande número de funcionários, é comum contarem com um departamento jurídico próprio, com uma equipe de advogados trabalhistas para defender seus interesses e fazer um trabalho preventivo — evitando dor de cabeça no futuro em relação às contratações.

Como é o mercado de trabalho para essa área?

O mercado de trabalho para o advogado trabalhista tem uma alta demanda, tanto no âmbito público como no privado — em escritórios ou atuando diretamente para as empresas.

Além disso, é um segmento que pode abrir demanda para outras áreas: “uma vez que ele pode atuar para os dois perfis de clientes ao mesmo tempo (trabalhador e empregador) — mas nunca no mesmo processo pelos dois —, as demandas, muitas vezes, abrem caminho para outras áreas. É o caso da previdenciária, quando o trabalhador enfrenta problemas como segurado do INSS com relação a auxílio-doença ou aposentadoria”, destaca a professora da UniNorte.

O mesmo pode ocorrer quando ele advoga para as empresas. “Muitas vezes, elas necessitam de suporte nas demandas em Direito Tributário ou Direito Empresarial, que gerou passivo em decorrência das obrigações trabalhistas não cumpridas em seu devido tempo”, acrescenta Jaqueline.

Segundo a consultoria de empregos Catho, a média salarial na área do Direito Trabalhista é de R$ 3.295,48.

Como fica a atuação do advogado pós-reforma trabalhista?

Em 11 de novembro de 2017, entrou em vigor a Reforma Trabalhista (Lei 13.467). “Inicialmente, a reforma veio com o objetivo de promover e gerar mais empregos com a flexibilização das normas. Mas com o cenário econômico atual, ela não atingiu sua meta, até porque não houve qualquer incentivo fiscal com relação aos encargos para os empregadores”, comenta Jaqueline.

Após um ano da lei em vigor, um dos principais impactos observados foi a redução de demanda reclamatória na Justiça do Trabalho. “Isso ocorreu por conta das custas processuais e dos honorários periciais que o reclamante terá que pagar se perder a ação”, explica a professora da UniNorte.

Ela acrescenta ainda que a Reforma Trabalhista trouxe novas modalidades de contrato de trabalho. “Os juízes estão tendo dificuldades em interpretar a nova lei, causando uma insegurança jurídica nas novas contratações”.

Mas, com todos esses fatores, como fica a atuação do advogado trabalhista? A nova legislação trouxe a flexibilização das regras — cenário em que ganha importância o papel consultivo desse profissional.

Com uma maior liberdade de negociação entre empregados e empresas, é importante que o advogado busque atualização e invista no conhecimento técnico. É necessário ainda que tenha um olhar analítico para conseguir interpretar a nova lei e, assim, ter sucesso na defesa ou na consultoria para qualquer uma das partes.

O que é preciso fazer para se destacar?

A demanda pelo advogado trabalhista é alta, porém tem mais espaço no mercado de trabalho quem busca se destacar no segmento. “É necessário manter-se sempre atualizado, principalmente diante das inovações da Reforma Trabalhista, e atento para os novos entendimentos dos tribunais. O profissional deve ainda fazer leituras de novas doutrinas e leis e participar de simpósios ou encontros de jornadas jurídicas”, recomenda Jaqueline.

Acompanhar as últimas notícias dessa área também é fundamental, por isso o profissional deve se cadastrar em sites como o do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da região onde atua e também o do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Assim, ele recebe todos os boletins e acompanha as últimas mudanças e decisões desse campo jurídico.

Realizar networking, ou seja, estar em contato com outros advogados trabalhistas para trocar conhecimento também pode fazer a diferença na carreira.

Continue estudando

Para quem busca ir além, torna-se crucial continuar estudando e programar-se para fazer cursos complementares e de pós-graduação na área, como a especialização em Direito do Trabalho e Processual do Trabalho. Nesse sentido, o aluno terá disciplinas bem específicas no segmento — o que certamente vai aprimorar seus conhecimentos e habilidades —, além de aumentar as oportunidades profissionais.

Agora você já sabe como pode ter sucesso ao atuar como um advogado trabalhista. Apesar das mudanças de regras com a Reforma Trabalhista, há grande demanda para o profissional que se mantém atualizado — principalmente para aqueles que buscam uma pós-graduação na área.

Gostou das nossas dicas de carreira? Quer acompanhar outros posts como este? Então, é só assinar nossa newsletter e você receberá conteúdo atualizado diretamente no seu e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This