Entenda como é possível usar o design thinking nos seus estudos

Você já ouviu falar em design thinking? Sabia que o “jeito de pensar dos designers” pode ajudar nos seus estudos e facilitar o aprendizado? Mais do que uma forma de enxergar algo, o design thinking é uma abordagem (praticamente uma metodologia) testada e comprovada que permite realizar inúmeras tarefas com eficiência, fluidez e criatividade.

Então, que tal explorar essa possibilidade para se dar bem na vida acadêmica? Neste post, mostraremos como você pode usar o design thinking nos estudos, como forma de ampliar a memorização e retenção de aprendizado — e, de quebra, conquistar melhores resultados nos trabalhos e provas.

Ficou interessado? Então, acompanhe as dicas a seguir e não deixe de colocá-las em prática!

O que é design thinking?

O design thinking funciona como uma maneira de pensar que ajuda a resolver problemas diversos e de todos os tipos. Esse conceito surgiu dentro do mundo do design, mas, na verdade, pode ser utilizado para qualquer área da vida.

De modo geral, o design thinking é uma abordagem que busca solucionar quaisquer problemas de forma colaborativa e coletiva, dentro de uma perspectiva de empatia máxima entre os interessados. Sendo assim, as pessoas são consideradas como o centro do desenvolvimento dos produtos — não somente o consumidor final, mas todos os indivíduos que fazem parte da ideia.

Quais são as vantagens na educação?

O aluno aprende a aprender

Com a aplicação do design thinking, os alunos podem ensinar e aprender uns com os outros, e também se ajudar mutuamente. Afinal, uma das melhores formas de aprender é ensinar.

Nesse contexto, o estudante passa a ser um ator do processo, e não mais um mero receptor de informações. Assim, ele vai analisar os problemas, manifestar seu ponto de vista, apresentar suas dificuldades e propor soluções. Tudo isso feito de maneira coletiva, para que todos os alunos compartilhem das múltiplas abordagens para uma mesma dificuldade.

Dessa maneira, é possível compreender que nenhuma resposta é perfeita e que as melhores soluções emergem quando há a reunião de perspectivas aparentemente divergentes. O design thinking, assim, promove a empatia e a colaboração.

Propaga a empatia

Como comentado, o conceito do design thinking é baseado na empatia. Isso porque ele exige que o aplicador passe a ver o problema pelos olhos das pessoas que mais sofrem com ele. Essa abordagem, por si só, provoca um mergulho profundo no transtorno que está sendo enfrentado e gera uma compreensão muito mais próxima da realidade.

A ideia também incentiva o trabalho com a pesquisa exploratória, ação que ajuda o indivíduo a entender as experiências, vivências e histórias reais. Mais uma vez, fica mais fácil entender as necessidades do outro, observar suas barreiras e propor soluções para resolver seus problemas.

Incentiva o trabalho focando em soluções

Quando usado nas aulas, o design thinking pode adicionar praticidade a todo o processo de aprendizagem. A abordagem ainda visa envolver todos os estudantes no processo de criação de uma determinada solução, permitindo a contribuição a partir das experiências próprias e a chegada a um consenso que seja benéfico para todos.

Na educação, o conceito torna o aluno mais participativo, bem como aprimora sua capacidade de se colocar no lugar do outro e de trabalhar em equipe. Essas são habilidades imprescindíveis para que o estudante seja bem-sucedido tanto no mercado de trabalho como na sua na vida social.

Propicia a inovação e criatividade

O design thinking parte do princípio de agregação de diferentes métodos para abordar qualquer tipo de adversidade — assim como o designer faz em seu trabalho. Logo, quando incorporada à educação, a ideia incentiva a criatividade e a inovação nos estudos.

A abordagem é aplicada por meio da descoberta, em que o aluno investiga o problema, observando-o ou sentindo-o na pele. Em seguida, parte-se para a interpretação de todas as informações reunidas sobre o tema estudado. Depois, é a hora de propor ideias que visem melhorar a situação, ao aprofundar-se em cada uma delas para selecionar as mais apropriadas à circunstância dada.

Todo esse processo, inevitavelmente, facilita o aprendizado e a memorização, pois faz com que o estudante se envolva verdadeiramente com os conteúdos.

Como usar o design thinking nos estudos?

Estruture um pensamento visual

O pensamento visual pode servir como um guia nas dinâmicas de grupos de estudos, deixando-os mais agradáveis, leves e produtivos. Por tornar os processos mais objetivos, essa medida ajuda a otimizar o tempo e outros recursos.

Estudar utilizando o pensamento visual ainda ajuda a organizar os conteúdos aprendidos, fazendo com que o aluno seja como um gestor de sua própria aprendizagem. O estudante também passa a enxergar o conhecimento de forma aplicável no seu dia a dia, seja na faculdade ou na sociedade. 

Compartilhe informações

Como mencionamos, um dos princípios do design thinking é a colaboração. Por isso, é interessante que você compartilhe informações com seus colegas, já que assim vocês ajudarão uns aos outros no processo de aprendizado.

Esses compartilhamentos podem ser feitos tanto de maneira mais formal — marcando reuniões, grupos de estudo e criando pastas compartilhadas de arquivos na nuvem — ou de modo informal — a partir de conversas e ajudas mútuas.

Defina seu principal desafio ao estudar um tema

O design thinking busca soluções para problemas e questões práticas. Por isso, para fazer melhor uso do conceito, parta sempre de um desafio ou problema real. Inicie o processo definindo seu desafio de aprendizado de forma clara e ampla o suficiente para que ele indique um caminho e permita que você possa encontrar surpresas ao percorrê-lo. Lembre-se sempre de que o desafio deve servir como norte para suas pesquisas, e não limitar sua visão.

Pesquise

Pesquisar também é uma parte fundamental do design thinking. Nessa fase, é fundamental mergulhar no assunto. Para compreender o máximo possível sobre ele, comece pesquisando as pessoas com as quais ele se relaciona (por exemplo, os principais autores sobre o assunto).

Esta é uma etapa que traz diversas novas dúvidas para a mesa — o que pode ser bastante positivo. Reúna seus colegas para que todos examinem o tema mais uma vez e compartilhem os pontos interessantes descobertos.

Faça uma parada estratégica

Atente-se para não se apressar e pular essa fase, ok? Agora que você tem em mãos muitos fatos e dados, permita que sua mente respire um pouco. Essa pausa para refletir sobre o que foi aprendido é essencial para o processo como um todo. Assim, você poderá seguir em frente com uma visão menos conturbada e mais clara.

Como o processo do design thinking funciona?

O processo tradicional de design thinking consiste em 5 etapas que estruturam o desenvolvimento de projetos, produtos ou soluções.

Simpatizar

Esta é a etapa em que o estudante, profissional ou pesquisador busca se familiarizar com o problema (tema) e com as pessoas envolvidas nela. É importante para compreender o real propósito do estudo.

Definir

Nesta fase identificam-se tendências, teorias ou linhas de pensamento comuns entre as diferentes pessoas entrevistadas ou autores estudados. É uma etapa fundamental para ter mais clareza no processo.

Idealizar

Neste momento, você se inspira nas fases anteriores para encontrar soluções potenciais. Esta é a hora de deixar a criatividade rolar para tornar tudo mais divertido e inovador.

Prototipar

Depois de concordar — por exemplo, com seus colegas — sobre quais são as melhores soluções, é hora de construí-las (montar o trabalho, material de estudo ou produto). Essa etapa é fundamental para tornar tudo mais concreto e palpável!

Testar

Por fim, é hora de ver na prática se o trabalho ou solução funciona realmente. A ideia aqui é reunir informações para aprimorar o que foi desenvolvido e continuar evoluindo.

E então, gostou de conhecer mais sobre o design thinking e entender como ele pode ajudar nos seus estudos? Como você viu, independentemente dos passos a serem seguidos, essa é uma abordagem que se baseia em alguns princípios, como: compartilhamento, empatia, criatividade e pesquisa. Ao se basear nesses pilares, sem dúvida, você terá muitos benefícios em seu aprendizado!

Por fim, que tal criar um movimento de pessoas que estudam juntas com base no design thinking? Compartilhe este post nas redes sociais e marque seus colegas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This