Entenda a importância da qualificação profissional para a sua carreira​

Onde você chega, ela é assunto. Vai procurar emprego? Precisa mostrar que tem. Quer melhorar o currículo? Conte com ela. Seus colegas de trabalho e os amigos da faculdade buscam aumentar a deles. Mas, afinal de contas, o que é essa tal qualificação profissional?

Não adianta fazer como o Zeca Pagodinho e apenas responder: “nunca vi, nem comi; eu só ouço falar“. Você também precisa se qualificar.

Mas, caso não tenha ideia de como começar, pode ficar tranquilo que a gente está aqui para ajudar você. Vamos conversar mais sobre isso?

O que é qualificação profissional?

Quando a gente procura no dicionário, encontra que qualificar significa “atribuir uma qualidade”. Esse conceito dá uma ideia de como o mercado de trabalho funciona. Quem tem mais qualidade é o escolhido para um cargo, para uma promoção ou algo do tipo.

Por isso, você pode entender que ter qualificação profissional é desenvolver habilidades para assumir um cargo. Imagine que você é um empresário e tem três candidatos para ocupar uma vaga.

Qual deles escolher? Aquele que tem mais afinidade com o cargo e fez cursos na área, certo? Isso significa que o critério de escolha utilizado foi a melhor qualificação entre o que cada um apresentou no processo seletivo.

Em resumo, ser qualificado significa que você desenvolveu — seja em experiências anteriores ou por meio de cursos — as habilidades necessárias para exercer uma atividade. Entendido?

Quais são os benefícios que ela traz?

Você já deve imaginar qual é a resposta para essa pergunta. Quem tenta ingressar ou se recolocar no mercado de trabalho sabe o sufoco que é: você precisa entregar currículos, correr atrás de vagas, passar por várias entrevistas etc.

Acontece que, quando melhora a sua qualificação profissional, todo esse ciclo cansativo tende a diminuir. As empresas buscam sempre as pessoas mais qualificadas, porque são elas que conseguem oferecer melhores resultados.

Assim, à medida que você reúne as competências mais buscadas, acaba se destacando da concorrência. E mais: quem tem qualificação tem mais chances de crescimento. Você não precisa se prender a uma vaga que paga pouco e mal cobre suas despesas. Pode buscar voos mais altos e concorrer a oportunidades melhores.

Além disso, muitas das grandes corporações têm planos de carreira. Então, você pode entrar como estagiário e crescer aos poucos, passando para assistente, analista, gestor, entre outras posições.

Só que, para isso, é preciso estar sempre mais qualificado que os demais. Mesmo que você seja muito bom no que faz e se destaque, dificilmente vai conseguir sucesso se não tiver curso superior, por exemplo.

Não adianta achar que o estudo não é importante e que a formação pode ficar em segundo plano. A qualificação profissional ajuda a:

  • conseguir uma boa colocação no mercado de trabalho;
  • conquistar promoções dentro de uma empresa;
  • melhorar o nível salarial;
  • sair de áreas mais operacionais e ir para cargos de gestão.

Como conseguir mais qualificação profissional?

O estudo é a base da qualificação profissional. É claro que a prática também ensina muitas coisas no dia a dia, mas até os profissionais que acumulam bastante experiência encontram dificuldades em ter uma carreira de sucesso se não investirem em sua formação. A questão é: qual caminho seguir?

Curso superior

O ponto básico é fazer um curso superior na área em que você quer trabalhar. A gente ouve sempre falar que o mercado está muito competitivo, certo? De fato, isso é uma verdade.

Hoje, a formação superior deixou de ser um fator diferencial e já é considerada como requisito básico para conquistar uma vaga. Sem ela, muitas empresas nem consideram o seu currículo.

Portanto, se você ainda não fez a sua faculdade, comece o mais rápido possível. Estar fazendo algum curso já ajuda, pois passa a mensagem positiva de que você está buscando crescer, adquirir novas competências e se tornar mais preparado.

Na hora de escolher o seu curso superior, seja na área de Exatas, seja em Humanas ou Biológicas, você vai precisar se decidir entre:

  • licenciatura, que é voltada para a carreira acadêmica e qualifica o profissional para lecionar;
  • bacharelado, que é um tipo de preparação mais voltado para os desafios do mercado de trabalho;
  • tecnológico, que são os cursos de menor duração e que oferecem uma formação mais técnica.

Em outras palavras, o bacharelado é uma opção mais abrangente por abordar tanto a área de formação como outros temas que ajudam a consolidar o profissional. Alguns dos exemplos são os cursos de Administração, Direito e Engenharia.

Já o curso tecnológico foca na atuação do dia a dia, preparando o estudante para colocar a mão na massa — inclusive, por essa razão, ele costuma ter uma duração mais curta, para facilitar a entrada no mercado. Para esse perfil, há alternativas como Tecnologia em Segurança do Trabalho ou Gestão Financeira.

A verdade é que não existe uma escolha melhor que a outra. Cada pessoa deve refletir e optar por aquilo que melhor atende às suas necessidades no momento. Lembrando que capacitação nunca é demais e que ainda vão continuar existindo outras oportunidades no futuro.

Pós-graduação

Quem já concluiu ou está terminando a faculdade pode (e deve) fazer uma pós-graduação. Essa é uma forma de se destacar mais ainda em uma área que você acha interessante ou que está em alta. A pós confere ao profissional o título de especialista em determinado assunto.

Suponha que você fez um curso superior de Análise e Desenvolvimento de Sistemas e está atuando na área. Você pode, por exemplo, fazer uma pós-graduação em Desenvolvimento de Aplicativos para Dispositivos Móveis e trabalhar com a criação de apps para smartphones.

Outra opção é buscar uma especialização em Desenvolvimento Web, que permite a criação de softwares que funcionam como plataformas online. Todas elas são interessantes, pois muitas empresas solicitam esses serviços e outras são especializadas em fazer isso — o que garante boas perspectivas de trabalho.

Resumindo, uma especialização proporciona muito conhecimento em uma área específica e, junto com a experiência, faz com que você se torne uma referência no assunto, ganhando destaque entre os outros profissionais do mesmo segmento.

Cursos de extensão

Para completar, os cursos de extensão são uma boa alternativa para quem ainda não se formou, principalmente porque eles não exigem que você tenha concluído a faculdade. Isso não quer dizer que uma pessoa graduada ou pós-graduada também não deve investir nesse tipo de conteúdo.

São conhecimentos extras que podem ser agregados ao seu currículo para valorizá-lo cada vez mais. Eles podem fazer a diferença em determinadas disputas por vagas de trabalho, demonstrando que você buscou somar outras habilidades e está mais preparado.

Como escolher as melhores opções?

O primeiro passo para escolher o seu caminho é saber para onde você quer ir. Essa é a melhor forma de concentrar os seus esforços em uma formação coerente com a sua realidade.

De nada adianta fazer um curso de extensão em uma área que não tenha nada a ver com aquela em que você trabalha, certo? Em vez de perder tempo e dinheiro atirando para tudo quanto é lado, foque nos seus objetivos de carreira.

Procure cursos que vão agregar qualidade ao que você já faz ou à área em que pretende ingressar. Isso vai ajudar a formar um perfil forte e competitivo.

Também tenha cuidado ao escolher a faculdade: pesquise em redes sociais, veja aquelas que mais interagem com seus alunos e com seu público. Isso significa que, quando você precisar resolver alguma coisa, vai ter facilidade no contato.

Pergunte a alunos e ex-alunos e ouça a opinião de professores da área — essas são as pessoas mais habilitadas a dar uma boa noção sobre a instituição. Além disso, consulte a matriz curricular do curso que deseja fazer e confira se ela está de acordo com as suas expectativas.

Além de tudo isso, analise o reconhecimento da instituição no mercado de trabalho. O nível de empregabilidade dos alunos e a opinião das empresas são bons indicadores para que você tenha uma ideia da importância de ter esse diploma para o seu futuro.

A educação a distância (EAD) como ferramenta de qualificação

Por fim, vale a pena considerar o avanço da modalidade de educação a distância como uma ótima ferramenta de qualificação. A internet trouxe tantas facilidades para as nossas vidas que seria um desperdício não utilizá-la para a educação, não é mesmo?

Ainda mais que a maioria das pessoas vive uma rotina tão corrida, que nem sempre é tão fácil ter tempo e disponibilidade para estudar. Diante disso, a possibilidade de estudar a distância deve ser considerada por quem quer conquistar um diploma e também se manter como um profissional atualizado.

Entre as principais vantagens da EAD estão:

  • rotina flexível e sem um horário rígido de aulas;
  • otimização de tempo;
  • economia financeira, já que as mensalidades e os custos do dia a dia tendem a ser menores (transporte, alimentação etc);
  • autonomia para o aluno estudar;
  • acesso a uma enorme variedade de áreas do conhecimento.

Isto é, trata-se de uma opção bem mais prática tanto para o nível de graduação quanto para os cursos de especialização. É claro que essa oportunidade precisa ser acompanhada de muita disciplina, organização e comprometimento dos alunos — além de uma boa metodologia e suporte da instituição de ensino.

Para se ter uma ideia, hoje existe um enorme mercado de pós-graduação EAD. A pessoa que já está inserida no mercado, não tem tanta mobilidade e ainda assim quer se capacitar ainda mais pode encontrar na internet a solução de que precisa.

Investir em qualificação profissional é o caminho mais certo para o sucesso. Sabe aquele profissional que as empresas disputam? São pessoas que se dedicaram à sua formação e que conquistaram renome no mercado.

Se você gostou do post e quer continuar recebendo outras publicações como esta, aproveite para assinar a nossa newsletter!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This