É sempre momento para empreender na faculdade. Comece já essa prática!

A crise econômica desses últimos cinco anos trouxe números alarmantes. De acordo com o IBGE, em 2013 o Brasil tinha cerca de 7,7 milhões de desempregados. Passados quase seis anos esse número está em cerca 12,1 milhões de desocupados.

No entanto, o que significou desespero para uns tornou-se oportunidade para outros, e em vista da necessidade muita gente está investindo em um empreendimento próprio. Mas você sabia que empreender na faculdade tem ajudado muitos jovens não apenas a vencer a crise como também a impulsionar suas carreiras?

Pois é, as universidades podem ser o palco de uma experimentação intensa e incubadoras de inúmeras ideias. Você já parou para pensar sobre isso? Então, acompanhe nosso artigo e veja como empreender na faculdade para garantir um futuro brilhante!

O que é empreendedorismo e como ganhar dinheiro com ele?

Antes de falar sobre empreender na faculdade, é importante que você compreenda o significado da palavra “empreendedorismo”. Mais do que definir quem tem seu próprio negócio, o termo vincula-se à capacidade de identificar problemas, oportunidades e propor soluções de impacto na sociedade.

Tanto que uma ação empreendedora pode consistir na criação e desenvolvimento de um projeto, um produto, um software, um medicamento, ou qualquer outra coisa que transforme o cotidiano das pessoas. Em outras palavras, é trabalhar fora da caixa.

O teórico Joseph Schumpeter, ainda em 1945, associou o empreendedorismo à capacidade de enxergar uma oportunidade no âmbito dos negócios e realizar combinações que resultassem em um novo bem, maneira de produzir ou até mesmo na exploração de novos mercados.

Embora pareça um pouco distante da realidade de quem é universitário, não é tanto assim. Veja o exemplo das startups ― empresas que já nasceram digitais, muitas delas comandadas por uma galera que nem chegou aos 30 anos. Elas criam facilidades para o dia a dia e tentam disseminar isso entre as pessoas. Temos aí várias para citar: Uber, Airbnb, iFood… Todas elas de faturamento milionário e que saíram do zero.

Se você está preocupado com o futuro e em conseguir um emprego depois de receber seu diploma, com o empreendedorismo você pode a dar um rumo muito especial à sua carreira, não importa a área.

Para isso, basta você se associar a atividades e pessoas certas. Talvez você não saiba, mas instituições renomadas de ensino superior contam com infraestrutura e projetos que sempre abraçam alunos interessados no próprio desenvolvimento profissional. Além disso, é comum haver projetos que fomentam ações empreendedoras em parceria com grandes empresas.

Laboratórios experimentais, empresas juniores, ambulatórios de atendimento e centros de pesquisa são alguns dos locais onde você consegue se envolver com a ideia empreendedora e realizar muitas atividades produtivas. Além desses, a própria sala de aula pode ser um ambiente interessante de diálogo entre professores e alunos para, dali, saírem inúmeras inovações.

Se ainda na faculdade você começar a desenvolver sua ideia empreendedora, a apreensão quanto à saturação do mercado tende a diminuir. Isso acontece porque é comum jovens profissionais ficarem esperando a oportunidade dos sonhos, baseando-se no envio de currículos e no comparecimento a processos seletivos.

Porém, com um mercado saturado em muitas profissões, a alta demanda de candidatos está sobrepondo a oferta de vagas, aumentando a disputa e gerando muita frustração. Por isso, investir no empreendedorismo pode ser uma excelente saída para seu crescimento profissional num espaço de tempo bem mais curto em relação a quem está na fila de currículos — e você terá chances de conseguir bem mais rápido sua estabilidade financeira e autorrealização!

Que cursos despertam o espírito empreendedor?

É claro que o empreendedorismo universitário é difundido com mais ênfase em determinadas carreiras do que em outras. O que, na verdade, constitui uma falha cultural, visto que seja um médico, um filósofo, um comunicador ou um professor da educação básica, todos têm muitos motivos para difundir ideias empreendedoras.

Mesmo assim, alguns cursos têm por característica facilitar o empreendedorismo, pois precisam de profissionais capazes de encontrar soluções para desafios impostos por seus próprios clientes e empregadores. Vamos conhecer alguns:

Tecnologia da Informação

Essa é uma área que cresceu muito nos últimos tempos, especialmente graças à transformação digital, que está modificando sensivelmente as relações de negócio e o modo de produção das empresas. Por isso, além de ter os próprios clientes, os profissionais podem investir suas habilidades em soluções para todo tipo de negócio, com ideias originais e personalizadas para cada segmento.

Comunicação e Marketing

A era digital trouxe um novo posicionamento para essas áreas, tornando-as amplamente requisitadas. Seja um jornalista, publicitário ou relações-públicas, o profissional pode se engajar em diversos projetos de empreendedorismo, com destaque para o marketing digital, eventos, criação de identidade de marcas, propondo soluções que possam colocar em evidência empresas, produtos e até mesmo outras pessoas (marketing pessoal).

Engenharia e Arquitetura

A formação oferecida pelas áreas de Engenharia e Arquitetura permite que os alunos desenvolvam uma série de ideias empreendedoras nas áreas de projetos, consultorias, reformas de ambientes, soluções de planejamento urbano, licitações públicas, projetos residenciais e comerciais, e até docência. Em muitos casos, ambas as áreas precisam dialogar, e uma completa a outra no desenvolvimento das ideias, agregando valor ao exercício empresarial.

Administração

Por abordar todos os conceitos administrativos de uma organização, o aluno consegue se preparar de maneira mais completa ao universo dos negócios. Ao longo do curso de Administração, que dura em média 4 anos, o estudante ganhará uma visão abrangente em áreas, como:

  • Contabilidade;

  • Direito;

  • Estatística;

  • Finanças;

  • Gestão;

  • Processos Gerenciais;

  • Logística;

  • Marketing;

  • Novos Negócios;

  • Recursos Humanos.

Que atitudes na faculdade podem ajudar você na arte de empreender?

Ter vontade de empreender na faculdade não basta. Para que você transforme esse desejo em realidade, é necessário adotar uma postura estratégica e conhecer seu perfil profissional. Pensando nisso, separamos algumas atitudes que você deve tomar na arte do empreendedorismo universitário.

Tenha um senso desbravador

Empreendedores de sucesso aprenderam a desenvolver inteligência emocional para manter a motivação necessária e a determinação de fazer seus projetos darem certo.

Facilmente você encontrará pessoas que o enxergarão com descrédito e não acreditarão no seu potencial. Por isso, mantenha a chama da vontade de crescer e praticar o “amor ao próximo”… Ao próximo que acredite na sua ideia.

Em outras palavras, é ter alta facilidade de superação, agregar-se às pessoas certas e saber trabalhar de forma colaborativa, de maneira a agregar o que for possível.

Procure incubadoras de projetos

Como dissemos, nas melhores instituições há muito espaço para projetos, principalmente por meio de incubadoras. Entre em contato com os professores dessas áreas e veja como você pode participar, se eles estão abertos ao recebimento de novas ideias e como é possível desenvolvê-las com o apoio da faculdade.

Construa uma rede de contatos

Logicamente, chegar a qualquer lugar sozinho é bem mais difícil. Por isso, dentro do seu planejamento empreendedor você deve contar com uma rede de contatos sólida. Inclua nessa lista colegas de classe, alunos de outros cursos com quem você tenha afinidade e professores que possam servir de tutores ou influenciadores de sua ideia.

Saiba conciliar estudo e trabalho

Digamos que você esteja conseguindo emplacar seu projeto empreendedor. Então, a organização deve ser muito maior. Não se esqueça de que você precisa destinar um tempo para os estudos e outro para o trabalho, uma vez que quem empreende dificilmente trabalha somente em horário comercial. A carga horária, pelo contrário, tende a ser muito maior e você não pode deixar a graduação de lado.

Neste artigo, você aprendeu que o empreendedorismo universitário é uma realidade possível, com chances de transformar sua carreira. Então, não perca tempo e invista já em um curso de graduação e siga rumo à ascensão profissional. Ah, mas antes de você ir embora, destine mais uns minutos sobre esse assunto e confira 11 dicas práticas para empreender na faculdade.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This