É possível estudar atualidades para o ENEM? Conheça o melhor jeito!

Ano após ano, o tema atualidades causa receio nos vestibulandos. Até dá para entender esse medo, uma vez que se refere a um conjunto vago de acontecimentos recentes. Afinal de contas, há coisas acontecendo em todo lugar o tempo todo! Como adivinhar então qual atualidade o exame vai de fato cobrar?

Elaboramos este guia não só porque queremos ajudá-lo a estudar atualidades para o ENEM, mas principalmente porque sabemos como. Confira como isso é possível para tirar de letra!

O segredo para estudar atualidades para o ENEM é se manter informado

Sabemos que essa primeira dica é bem óbvia, mas nem por isso deixa de ser fundamental. É essencial para qualquer cidadão se manter informado sobre o que acontece não só no nosso país, mas no mundo, certo? Mas isso é especialmente importante para quem vai estudar atualidades para o ENEM!

Você já deve saber que as questões do Exame Nacional do Ensino Médio são interdisciplinares, certo? Na prática, isso significa que todos os assuntos cobrados (Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Linguagens e Matemática) vão apresentar alguma conexão com questões polêmicas e práticas do nosso cotidiano.

Isso sem falar na redação, famosa por cobrar opiniões consistentes sobre fatos controversos e dilemas sociais e morais próprios do nosso país. É fundamental, portanto, saber o que está acontecendo por aqui, ainda conhecendo as transformações no cenário internacional que nos afetam.

Mas tenha muita calma nessa hora, porque você não precisa estar a par de absolutamente tudo. Foque naquelas notícias que impactam a existência da humanidade, como voltadas para a inteligência artificial e o papel da tecnologia na criação de novos tratamentos clínicos, por exemplo.

É importante separar o joio do trigo e consultar apenas fontes confiáveis

No vastíssimo mundo virtual, é especialmente importante ter cuidado com as fontes escolhidas para o consumo de informação, viu? Sites, blogs, jornais e revistas eletrônicas: lembre-se de que nem tudo o que reluz é ouro.

Consulte apenas fontes confiáveis, como sites oficiais e plataformas comprometidas em fazer jornalismo de verdade. Sites como Estadão, Folha de S.Paulo, Brasil Escola, Nexo Jornal, BBC, CNN e El País, além de páginas de órgãos, como ONU, MEC e IBGE são ótimas fontes de informação.

Por outro lado, é bom ter um pezinho atrás com blogs. Afinal, podem funcionar como meros diários eletrônicos, contendo opiniões de pessoas que você não conhece e cujas motivações você não tem como averiguar. Sempre que estiver em dúvida sobre um assunto, portanto, busque referências em fontes como as que acabamos de citar e, a partir daí, forme sua própria opinião!

Aonde quer que vá, lembre-se de checar a credibilidade de quem produz a informação, procurando consumir conteúdos de forma crítica. Em outras palavras: não tome como verdade absoluta tudo o que lê. Mas quer entender melhor o porquê de toda essa precaução? Continue acompanhando!

Lembre-se de que as fake news invadiram a internet e até os grupos de WhatsApp

A circulação de fake news (no bom e velho português, notícias falsas) é uma tendência no mundo virtual. Basicamente, estamos falando de conteúdos imprecisos e informações distorcidas, produzidos com o propósito de iludir os leitores. O maior problema é que essas notícias acabam sendo compartilhadas desenfreadamente nas redes sociais, algumas até se tornando virais — reproduzidas milhões de vezes em questão de horas ou dias, exatamente como um vírus!

Parece inofensivo quando lemos a respeito, mas não é bem por aí. Para você ter uma ideia, as fake news foram recentemente acusadas de influenciar o resultado das eleições presidenciais americanas. Sabendo disso, tenha sempre em mente seu poder nocivo de modificar a realidade por meio da desinformação fabricada sem escrúpulos.

Como se precaver? Não acredite em conteúdos alarmistas que circulam majoritariamente nos grupos de WhatsApp e sempre procure opiniões de especialistas em qualquer que seja o assunto debatido. Aliás, sabia que o próprio Facebook está lutando para eliminar esse problema entre seus usuários?

Quer um exemplo de plataforma que reúne especialistas do mundo todo e disponibiliza palestras sobre assuntos polêmicos? A plataforma TED Talks, que tem centenas de vídeos com áudio ou legendas em Português. Fique sempre de olho para se informar com qualidade!

A pesquisa de pontos de vista opostos o transformará em um leitor crítico

Tão importante quanto checar a fonte e só confiar em sites e instituições oficiais e idôneas é ler sobre o mesmo assunto por perspectivas diferentes. Você deve, por exemplo, estar acompanhando a polarização política que acontece em nosso país, certo? Na hora de estudar esse tema, banque o advogado e depois o acusador, lendo pontos de vista contra e a favor, para depois se posicionar.

Já foi provado que quando nos identificamos com determinada perspectiva sobre assuntos polêmicos, como religião e política, tendemos a nos cercar de pessoas com a mesma opinião e de ler apenas o que confirma o que já pensamos. Assim, acabamos nos isolando em uma bolha de validação, o que é bem perigoso por passar uma ideia falsa de realidade. Fuja desse comportamento, procurando sempre enxergar os múltiplos lados do prisma.

Em anos eleitorais, entrevistas são portais de acesso a opiniões alheias

Em anos eleitorais como o que vivemos, programas jornalísticos de entrevistas, como o Roda Viva, são essenciais para conhecermos os candidatos e suas propostas. Mas não é só isso. Por meio da dinâmica de perguntas e respostas, sabemos sobre suas visões para os problemas de nosso país e demais temas relevantes.

Essa é uma ótima maneira de compreender pontos de vista diferentes dos seus para conseguir debater com seus colegas e se preparar para formar seus próprios argumentos na hora da redação.

É possível que a redação deste ano gire em torno dessa polarização ou de alguma questão envolvendo política. Prova disso são os temas das provas passadas, todos com forte um apelo social: intolerância religiosa, violência contra a mulher na sociedade brasileira, racismo, publicidade e trabalho infantil.

Vamos fechar este post com uma dica de ouro para quem gosta de ler no smartphone ou no tablet: que tal adotar algum aplicativo que filtre notícias de acordo com os assuntos que mais despertam seu interesse?

Um exemplo nesse sentido é o Flipboard, que reúne diversas revistas eletrônicas em um só lugar. Se você quer ler sobre Nanotecnologia e ficar por dentro das últimas novidades nessa área, por exemplo, basta definir esse assunto como prioridade para o aplicativo passar a agrupar as principais fontes de informação sobre o tema. Não parece ótimo?

Essa foi nossa forma de ajudá-lo a estudar atualidades para o ENEM. Achou a leitura proveitosa? Que tal nos seguir nas redes sociais para acompanhar outras dicas como estas? Estamos no Facebook, no Twitter, no YouTube e no Instagram!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This